Notícias

maio 18, 2019

Lembre-se de que o sucesso do tratamento tem relação direta com a colaboração do paciente, principalmente nos seguintes aspectos:

 

  • Manutenção de uma higiene bucal adequada (veja o vídeo educacional): este aspecto, associado a uma alimentação bem distribuída ao longo do dia, evitando-se a ingestão muito frequente de alimentos (evitar “beliscar ao longo do dia e chupar balas, por exemplo) permitem que, ao final do tratamento seus dentes e gengiva permaneçam saudáveis; 

 

  1. Dieta adequada: evitar qualquer tipo de alimento muito duro, crocante ou pegajoso. Estes podem causar deformações, quebra ou deslocamento dos aparelhos, que resultam em riscos leves a graves, tais como atraso na evolução do tratamento, lesões nos tecidos bucais, deglutição e aspiração de aparelhos ou parte deles.

Exemplos de alimentos que devem ser evitados: balas, amendoins, castanhas, pipoca, biscoitos duros, chocolates com recheio crocante ou com castanhas, pães duros e carnes com ossos. Sugerimos sempre que sejam encontradas opções de alimentos que o (a) paciente goste, mas que não ofereçam risco de danificar os aparelhos. Trocar o pão francês por pães de cachorro quente, de hambúrguer ou de forma, sorvetes ao invés de sobremesas duras ou crocantes, carnes macias e assim adequando a dieta ao tratamento. Para alguns tipos de aparelho, também é importante que se evite cortar os alimentos com os dentes, já os inserindo na boca em pequenos pedaços. Evite também o consumo frequente de refrigerantes e doces em geral, que podem facilitar o surgimento de manchas brancas, cáries e inflamações gengivais.

  1. Ao praticar esportes ou em situações de risco de trauma na face, estando em tratamento com aparelhos fixos, tipo “brackets”, utilize protetores bucais. Aparelhos extrabucais ou intrabucais removíveis não devem ser utilizados nestas situações. Além disso, outras crianças que venham a brincar com pacientes que utilizam aparelhos extrabucais devem ser orientadas a jamais “puxar” os aparelhos da face do paciente ou realizar qualquer tipo e brincadeira que possa resultar em deslocamento dos mesmos. (exemplos: atirar travesseiros ou outros objetos).
  2. Utilização adequada de dispositivos removíveis (exemplos: elásticos, aparelhos ortopédicos funcionais, aparelhos extrabucais);
  3. Assiduidade nas consultas: sua presença na regularidade indicada pelo ortodontista resulta em ativações adequadas e consequente evolução rápida do tratamento. Faltas frequentes tendem a aumentar o tempo de tratamento e, caso ocorra alguma deformação dos aparelhos, podem resultar em efeitos indesejados sobre os dentes e outros tecidos bucais.

Emergências mais comuns relacionadas ao uso de aparelhos ortodônticos:

  1. Aparelhos removíveis: se o aparelho removível não estiver apresentando boa adaptação, não esteja se encaixando nos respectivos tubos ou em caso de perda de aparelhos, antecipe sua consulta em nossa clínica para os devidos ajustes ou procedimentos para a confecção de um novo aparelho. Estas recomendações valem inclusive para contenções removíveis.

Lembre-se: É NECESSÁRIA ATENÇÃO AO MANIPULAR OS APARELHOS EXTRABUCAIS. NO MOMENTO DE SUA COLOCAÇÃO OU RETIRADA TENHA CUIDADO. APESAR DE SEU DESENHO, QUE BUSCA MINIMIZAR A OCORRÊNCIA DE ACIDENTES, DURANTE A REMOÇÃO OU COLOCAÇÃO, O APARELHO PODE MACHUCAR SUA MUCOSA, BOCHECHAS, FACE E PRINCIPALMENTE OS OLHOS. EVITE USAR O APARELHO QUANDO ESTIVER PARTICIPANDO DE ATIVIDADES ESPORTIVAS OU OUTRAS QUE POSSAM CRIAR ÍNTIMO CONTATO COM OUTRAS PESSOAS.

 

  1. Aparelhos fixos (“brackets”): pontas que estiverem machucando a mucosa bucal podem, até que seja agendado um horário na clínica, ser cobertas por cera pegajosa, que é fornecida por nossa equipe após a montagem do aparelho e também pode ser adquirida em lojas especializadas em produtos de higiene bucal e até em algumas farmácias e supermercados. Em algumas situações é possível dobrá-las com uma borracha do tipo das que ficam nas extremidades de lápis ou lapiseiras ou até mesmo cortadas com cortadores de unha ou alicates de cutícula, devidamente desinfetados (friccionar álcool). Se um “bracket”, tubo, banda ou outro dispositivo soltar-se dos dentes, o primeiro cuidado refere-se a tomar cuidado para que a peça não seja engolida ou aspirada. Evitar a alimentação em situações nas quais a peça esteja parcialmente solta é uma conduta recomendada. Assim que possível compareça à clínica para a retirada ou fixação da peça (leve-a com você). Caso esteja em outra cidade ou a clínica esteja fechada, procure um serviço odontológico de emergência ou outro (a) profissional de sua preferência. Estas recomendações têm especial importância para uso de aparelhos como barras palatinas e arcos linguais, que são pequenos o suficiente para serem engolidos ou aspirados e grandes o suficiente para exigirem atendimentos médicos de urgência, com possíveis cirurgias, para sua retirada.

Lembre-se: QUALQUER APARELHO ORTODÔNTICO/ORTOPÉDICO DANIFICADO OU SOLTO PODE SER CONSIDERADO UM CORPO ESTRANHO PASSÍVEL DE CAUSAR LESÕES EM MUCOSA, PELE E OLHOS, DE SER DEGLUTIDO OU ASPIRADO, O QUE SÃO CONSIDERADOS GRAVES ACIDENTES. PORTANTO, AS INSTRUÇÕES QUANTO À DIETA MACIA E NÃO PEGAJOSA E OS CUIDADOS NA PRÁTICA DE ESPORTES E BRINCADEIRAS DEVEM SER SEGUIDOS RIGOROSAMENTE. EM CASO DE QUALQUER ALTERAÇÃO NOS APARELHOS, O PACIENTE DEVE PROCURAR O ORTODONTISTA OU SERVIÇOS ODONTOLÓGICOS OU MÉDICOS COM URGÊNCIA.

  1. Aparelhos removíveis e fixos: existe grande variação individual, mas alguns pacientes podem apresentar sensibilidade aumentada ou dor após a instalação, ativação ou mesmo em momentos intermediários entre estes. Normalmente estes sintomas se reduzem significativamente dentro de dois a cinco dias. Se necessário, pode ser administrado analgésico ou anti-inflamatório que o paciente esteja habituado a utilizar, embora seu uso não seja comumente necessário. Esta sensibilidade pode ocorrer também com o uso de separadores instalados previamente à bandagem de dentes (instalação de anéis).

Pacientes que tem predisposição ao aparecimento de aftas podem utilizar pomadas tópicas como Triancinolona Acetonida. Se a incidência for muito elevada, comunique nossa equipe, para que façamos a prescrição de gel manipulado para aliviar os sintomas.

Sangramento gengival ao toque, vermelhidão e inchaço da gengiva são sinais de inflamação e geralmente estão relacionados ao acúmulo de placa bacteriana. Se estes sinais surgirem, intensifique os procedimentos de higiene oral (veja vídeos educacionais) e procure seu Odontopediatra, Dentista clínico ou Periodontista.